Moro é mais perigoso do que Bolsonaro, diz Magnoli

"A decisão monocrática do ministro do STF —um desafio a seu pares, ao Congresso e à separação de Poderes— atesta a confiança nele depositada. Mais que isso: ilumina os contornos do Partido de Moro", afirma Demétrio Magnoli

Jair Bolsonaro e Sérgio Moro
Jair Bolsonaro e Sérgio Moro (Foto: Carolina Antunes/PR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247- "A democracia traça uma fronteira nítida entre as esferas da Justiça e da política. Moro saltou, legitimamente, de uma a outra para, ilegitimamente, demolir a muralha que as separa. Bolsonaro, o nostálgico da ditadura militar, o adulador de torturadores, é um inimigo declarado da democracia. O inimigo dissimulado talvez revele-se mais perigoso", afirma o sociólogo Demétrio Magnoli em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo.

O artigo tratou sobre a decisão do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal, que suspendeu por tempo indeterminado a aplicação do juiz das garantias. Magnoli diz que a decisão do ministro "deve ser decifrado como elemento da campanha presidencial de Sergio Moro".

"A decisão monocrática do ministro do STF —um desafio a seu pares, ao Congresso e à separação de Poderes— atesta a confiança nele depositada. Mais que isso: ilumina os contornos do Partido de Moro", avalia.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247