Moro: lei pode ser alterada para levar à Justiça comum crimes de caixa 2

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, afirmou que, embora a Justiça Eleitoral seja digna de elogios, não tem estrutura para lidar com casos de crimes ligados ao caixa 2. "O remédio para isso [levar esses casos para a Justiça comum] é a gente mudar a legislação", disse

Moro: lei pode ser alterada para levar à Justiça comum crimes de caixa 2
Moro: lei pode ser alterada para levar à Justiça comum crimes de caixa 2 (Foto: Antonio Cruz - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, defendeu nesta terça-feira (26) uma mudança na lei para levar para a Justiça comum casos de caixa 2 associados a outros crimes. O titular da pasta comentou a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de que crimes ligados ao caixa 2 são de competência da Justiça Eleitoral. De acordo com o ministro, embora a Justiça Eleitoral seja digna de elogios, não tem estrutura para lidar com casos de crimes ligados ao caixa 2.

"O remédio para isso [levar esses casos para a Justiça comum] é a gente mudar a legislação", disse ele à rádio BandNews.

O ministro reforçou que no pacote anticrime enviado por ele ao Congresso Nacional há um projeto que estabelece a competência da Justiça comum para crimes cometido junto com o caixa 2.

"Como foi interpretação legislativa, o que se pode fazer é tentar mudar via legislativa. No âmbito do projeto anticrime, nós temos um projeto, o plp 38/2019, que pode ser apreciado, e isso ser alterado", 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247