Moro pressiona Congresso por prisão em 2ª instância

O ministro Sérgio Moro, da Justiça e Segurança Pública, está exercendo forte pressão política sobre o Congresso Nacional para tomar medidas que garantam a prisão após condenação em segunda instância

Sérgio Moro
Sérgio Moro (Foto: Marcelo Camargo - ABR)

247 - O ministro da Justiça Sérgio Moro afirmou ser contra deixar para o ano de 2020 a discussão sobre a prisão em segunda instância. 

No entanto, o mais provável é que o debate sobre a matéria seja mesmo adiado para 2020, porque o presidente do Senado Davi Alcolumbre (DEM-AP), está costurando um acordo com líderes para aguardar a tramitação de uma proposta de emenda constitucional na Câmara dos Deputados, informa O Estado de S.Paulo.

Moro tem insistido na tese de que a PEC não é necessária. Ele pressiona o Congresso para aprovar um projeto de lei, para promover a mudança, por meio da alteração do Código do Processo Penal. “Eu gostaria de ver isso aprovado o quanto antes. Se for possível aprovar por um projeto de lei nesse ano, no Senado ou na Câmara, um tanto melhor. Por que a gente tem de esperar o ano que vem?”, indagou em Moro. 

A postura do ministro da Justiça do governo de extrema-direita conta com o apoio apenas dos lavajatistas que atuam no Congresso, mas está provocando incômodo entre deputados e senadores de centro-centro-direita e centro-esquerda. 


Ao vivo na TV 247 Youtube 247