Moro se esquiva de responder se PF solicitou dados de Glenn ao Coaf

Em audiência na Câmara dos Deputados, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, se esquivou dos questionamentos de diversas parlamentares sobre a informação de que a Polícia Federal teria solicitado ao Coaf um relatório sobre as atividades financeiras do jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept

Moro CCJ da Câmara
Moro CCJ da Câmara

247 - Questionado por várias vezes se a Polícia Federal solicitou ao Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) um relatório sobre as atividades financeiras do jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil, como informou o site O Antagonista, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, não respondeu e desconversou.

A Polícia Federal é subordinada ao ministro Moro, e segundo o site teria pedido ao Coaf uma investigação sobre as movimentações financeiras do jornalista Glenn Greenwald, responsável pela série de conversas vazadas que revelam o conluiu do ex-juiz com procuradores da Lava Jato para perseguir e condenar o ex-presidente Lula.

Para o advogado, ex-presidente da OAB do Rio de Janeiro e ex-deputado federal, Wadih Damous, se confirmada a informação, Moro terá cometido o crime de improbidade administrativa. Isso porque tal pedido só pode ser feito por meio de medida judicial e com justificativa para tal quebra de sigilo.

De acordo com o Ministério da Economia, que coordena o Coaf, “não tem conhecimento de nenhum pedido por parte” da PF.

Em praticamente toda a sessão da CCJ, Moro reptiu o discurso de que não reconhece o conteúdo das conversas. Questionado pelo deputado Alessandro Molon se “o senhor nega a autoria de alguma mensagem específica”, Moro também se esquivou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247