Morte no Hopi Hari é fruto da dívida pesada do parque

A partida de Gabriella Nichimura reflete a grave crise financeira do parque, que deve R$ 800 milhes e foi comprado pela consultoria ntegra, do empresrio Nelson Bastos, por um valor simblico; depois da tragdia, h futuro para o Hopi Hari?

Morte no Hopi Hari é fruto da dívida pesada do parque
Morte no Hopi Hari é fruto da dívida pesada do parque (Foto: Divulgação)

247 – Até agora, a comoção gerada pela morte da jovem Gabriella Nichimura já provocou a interdição do parque e um jogo de acusações entre a direção do parque temático e seus funcionários. Alguns dizem estar sendo obrigados a declarar que os brinquedos, como o Tour Eiffell, palco da tragédia, sofriam vistorias rotineiras.

O que não se comenta é que o Hopi Hari vive tem dono e vive também uma grave crise financeira, que talvez tenha se refletido na qualidade da manutenção dos equipamentos. Recentemente, o parque temático foi adquirido pela consultoria Íntegra, do empresário Nelson Bastos, ex-sócio da Gradiente. Ele pagou o valor simbólico de R$ 53,18 e assumiu dívidas de mais de R$ 800 milhões, que se propôs a renegociar com credores.

Notório reestruturador de empresas, Nelson Bastos já participou do saneamento de companhias como a Parmalat e a Agrenco. Mas em nenhum dos dois casos enfrentou uma crise como a do Hopi Hari, que agora envolve uma vida precocemente perdida. Qual será o futuro de um parque que não cuidava adequadamente de seus brinquedos e expunha crianças à risco de morte? Será que os pais voltarão a permitir que seus filhos visitem o Hopi Hari?

Histórico complicado

Aberto em 1999, o Hopi Hari acumula fracassos na área financeira. Aberto por investidores ligados ao grupo GP, o parque foi depois socorrido por fundos de pensão nacionais, que nunca conseguiram viabilizar o empreendimento. O faturamento projetado do plano de negócios, de R$ 200 milhões/ano, nunca foi alcançado. E quando as dívidas se tornaram insustentáveis, Nelson Bastos entrou em ação, fazendo uma compra simbólica, para tentar salvá-lo.

Ocorre que, agora, o peso de uma vida perdida pode ser mais forte do que a dívida de R$ 800 milhões.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247