Mourão cobra explicação sobre o bolsogate

"O ex-motorista, que conheço como Queiroz, precisa dizer de onde saiu este dinheiro. O Coaf rastreia tudo. Algo tem, aí precisa explicar a transação, tem que dizer", cobrou o vice de Bolsonaro, general Hamilton Mourão, para quem o governo tem que sempre dar explicações à sociedade; "Senão fica parecendo que está escondendo algo"; o militar também provocou o futuro ministro Onyx Lorenzoni, por ter fugido da coletiva ao ser questionado sobre o escândalo; "Quando responde daquele jeito, parece que tem culpa no cartório"

Mourão cobra explicação sobre o bolsogate
Mourão cobra explicação sobre o bolsogate (Foto: José Cruz/Agência Brasil )
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Como se não bastasse a cobrança externa - de opositores e da grande mídia - sobre o escândalo do Bolsogate, o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), passou a ser pressionado pela própria cúpula de seu governo sobre o R$ 1,2 milhão suspeito na conta de Fabricio Queiroz, ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro, seu filho, e sobre o cheque nominal à futura primeira-dama, Michele Bolsonaro, no valor de R$ 24 mil.

O vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, pediu respostas sobre o caso neste sábado 8, ao ser questionado pela jornalista Andreia Sadi, da Globo. "O ex-motorista, que conheço como Queiroz, precisa dizer de onde saiu este dinheiro. O Coaf rastreia tudo. Algo tem, aí precisa explicar a transação, tem que dizer", cobrou Mourão.

A respeito de Bolsonaro, declarou: "Ele colocou a justificativa dele. Ele já disse que foi um empréstimo. O Queiroz precisa explicar agora". Mas cobrou que o governo sempre dê explicações à sociedade. "Senão fica parecendo que está escondendo algo".

O militar também criticou a postura do futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, por ter fugido da coletiva nesta sexta quando foi questionado sobre o escândalo. "Ele tá estressado. Quando responde daquele jeito, parece que tem culpa no cartório. Quando me perguntam, eu respondo claramente, com tranquilidade. Temos que falar", provocou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247