Mourão critica Marco Aurélio por soltura de traficante: "acho que não foi a melhor decisão a ser tomada"

Vice-presidente, general Hamilton Mourão, criticou o ministro do STF Marco Aurélio que determinou a soltura do traficante André do Rap. “Acho que não foi a melhor decisão a ser tomada pela periculosidade do marginal. O cara já sumiu do mundo", disse

Hamilton Mourão e Ministro Marco Aurélio
Hamilton Mourão e Ministro Marco Aurélio (Foto: REUTERS/Adriano Machado | Nelson Jr./SCO/STF)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O vice-presidente, general  Hamilton Mourão, criticou o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio que determinou que o traficante André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap, fosse colocado em liberdade . para Mourão, esta “não foi a melhor decisão a ser tomada pela periculosidade do marginal” e que agora cabe ao STF "corrigir isso".

“Acho que não foi a melhor decisão a ser tomada pela periculosidade do marginal. O cara já sumiu do mundo. Não vou dizer que gera um desgaste, mas o que acontece é que a sociedade hoje ela não aceita mais determinadas decisões que coloquem em risco ela própria. Então isso gera uma reverberação, principalmente, na porção mais esclarecida da sociedade. Compete ao próprio Supremo corrigir isso”, disse Mourão neta terça-feira (13), segundo reportagem do jornal O Globo

“A letra fria da lei foi obedecida, mas existe uma coisa, por exemplo, no regulamento disciplinar do Exército, quando você vai analisar alguma transgressão você tem que analisar a pessoa do transgressor”, completou. 

 

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email