Mourão voltou a falar grosso porque tem aval dos militares, diz Janio de Freitas

O colunista ressalta que o vice Hamilton Mourão divergiu de Jair Bolsonaro em dois temas fundamentais: o 5G e a compra de vacinas chinesas

Vice-presidente Hamilton Mourão durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto
Vice-presidente Hamilton Mourão durante entrevista coletiva no Palácio do Planalto (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O colunista Janio de Freitas interpreta, em sua coluna deste domingo, os movimentos do vice-presidente Hamilton Mourão, que decidiu contestar Jair Bolsonaro em dois temas fundamentais: a licitação do 5G, internet de alta velocidade, e a compra das vacinas chinesas.

"A firmeza de Mourão não é a de opinião pessoal. Também não é a do vice de um governo que tem posição pública oposta", diz Janio, em sua coluna. "A interpretação de que Hamilton Mourão veio fortalecer as críticas dos generais Santos Cruz, mais diretas, e Rêgo Barros é cabível. Até óbvia. Mas a entrada repentina de Mourão em dois temas de grande relevância atual, em ambos levando Bolsonaro à beira do abismo, não é voz de decepções, arrependimento ou ressentimento. É voz mais grossa", reforça.

"Estamos vendo os passos iniciais de um governo mais sob decisões e comando de militares do Exército do que de Bolsonaro e seu grupo", finaliza.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247