Movimentos de Favelas denunciam Witzel e Brasil na ONU por morte de Ágatha

Movimentos de Favelas entregaram à Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, e à Relatoria Especial sobre Execuções Sumárias e Extrajudiciais, neste final de semana, denúncia contra o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e o Estado Brasileiro, pela execução de Ágatha Félix, 8 anos, ocorrida na última sexta-feira (20)

Wilson Witzel denunciado na ONU
Wilson Witzel denunciado na ONU

247 - A cúpula da ONU recebeu, neste fim de semana, denúncia contra o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e contra o Estado Brasileiro, pela execução da menina Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, informa Jamil Chade neste domingo (22), no UOL.

"A denúncia foi feita pelos movimentos Papo Reto, Fórum Grita Baixada, Instituto Raízes em Movimento, Fórum Social de Manguinhos, Mães de Manguinhos, Movimento Moleque, Rede de Comunidades e Movimentos contra a Violência e Arquitetxs Faveladxs, em conjunto com a organização de direitos humanos Justiça Global", conta Chade.

Os documentos foram entregues à Alta Comissária da ONU para Direitos Humanos, Michelle Bachelet, e à Relatoria Especial sobre Execuções Sumárias e Extrajudiciais.

Os movimentos de favelas do Rio pedem que Alto Comissariado da ONU faça uma declaração "pública e incisiva", cobrando o Estado Brasileiro e Witzel sobre a morte de Ágata. Ele também qualificam de "genocídio" a realidade dos jovens negros nas favelas do Rio.

O grupo ainda pede que a ONU "demande uma explicação do Estado Brasileiro, direcionada à comunidade internacional, sobre as brutais violações de direitos humanos praticadas contra as favelas, as quais violam frontalmente obrigações e tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247