MP-SP investiga Salles por ter pressionado perito a mudar laudo para beneficiar construtora

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, teria pressionado um perito da Polícia Civil de São Paulo visando beneficiar os interesses de uma construtora ligada ao grupo Bueno Neto quando ocupou o cargo de secretário particular e do Meio Ambiente do governo Geraldo Alckmin (PSDB), entre 2013 e 2017

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, teria pressionado um perito da Polícia Civil de São Paulo visando beneficiar os interesses de uma construtora quando ocupou o cargo de secretário particular e do Meio Ambiente do governo Geraldo Alckmin (PSDB), entre 2013 e 2017. 

Segundo reportagem do UOL, um inquérito que tramita na 6ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da Capital do Ministério Público de São Paulo aponta pelo menos 14 situações nas quais Salles é suspeito de ter incorrido nos crimes de tráfico de influência, advocacia administrativa ou exploração de prestígio.

Além de Salles, o inquérito apura a participação de dois delegados  e um perito do Instituto de Criminalística (IC) no direcionamento do processo que teria uma construtora como maior beneficiada. Segundo o perito Rodney Ramos, do IC, o então delegado da Corregedoria Ruy Karan Filho e o então diretor da Corregedoria, Nestor Sampaio Penteado Filho teriam feito pressão para que um laudo ligado a uma investigação da Delegacia de Crimes Financeiros do Deic (Departamento de Investigações Criminais) – que apurava os crimes de sonegação de impostos e fraude no pagamento de dívidas judiciais por empresas do Grupo Bueno Neto. Na época Salles também trabalhava para o grupo. 

Ricardo Salles também é investigado em outro inquérito pela suspeita de enriquecimento ilícito e foi condenado no ano passado pelo crime de improbidade administrativa. Na Semana um novo processo contra ele foi aberto pelo fato dele ter mandado retirar um busto do guerrilheiro Carlos Lamarca de um parque localizado no interior de São Paulo. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247