MPF fez uso político de redes sociais e beneficiou o bolsonarismo, afirma estudo da FGV

O Ministério Público Federal se desviou de suas funções e teve comportamento antidemocrático nas redes sociais

www.brasil247.com -
(Foto: Agência Brasil)


247 - Um estudo realizado por pesquisadores da Fundação Getulio Vargas (FGV) aponta que o Ministério Público Federal (MPF) se envolveu na ofensiva golpista contra a presidente Dilma Rousseff, afetando a governabilidade do país e beneficiando o bolsonarismo nas eleições de 2018. 

A pesquisa examinou um universo de 37.041 tuítes publicados pelo MPF desde sua entrada na rede social, em 2011, informa a jornalista Mônica Bergamo na Folha de S.Paulo.

O estudo mostra que o MPF forneceu à rede de apoiadores da Lava Jato e de Jair Bolsonaro informações contra seus inimigos políticos. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O estudo cita como exemplo que no mês de outubro de 2018, jornalistas e blogueiros bolsonaristas como Alexandre Garcia e Allan dos Santos foram os perfis que mais se alimentaram de conteúdos do MPF. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email