MPF interdita loja da Havan por descumprir quarentena

A loja, de propriedade do empresário bolsonarista Luciano Hang, foi fechada por solicitação do MPF que recebeu denúncias de que a unidade estava quebrando o isolamento determinado pelo governo do estado

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Uma unidade da loja Havan em Rio Branco foi interditada nesta sexta-feira (1º de Maio) pela Vigilância Sanitária da capital do Acre por descumprimento das medidas de quarentena devido à pandemia do novo coronavírus.

A loja, de propriedade do empresário bolsonarista Luciano Hang, foi fechada por solicitação do MPF (Ministério Público Federal), que recebeu denúncias de que a loja estava quebrando o isolamento determinado pelo governo do estado.

O MPF apurou que a Havan chegou a anunciar em redes sociais que estaria aberta neste feriado e que os consumidores deveriam aproveitar a data para fazer as compras do Dia das Mães.

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, a Vigilância Sanitária foi ao local com agentes e interditou a loja. Três cartazes com a palavra “interditado” foram fixadas na porta do estabelecimento.

Não é a primeira vez que unidades da Havan desrespeitam a quarentena e estimulam que a população saia para compras em meio à pandemia. A Polícia Militar fechou uma loja em Porto Belo, no Litoral Norte de Santa Catarina, por descumprir do decreto estadual que determinou quarentena no estado. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247