'Nada será jogado fora', afirma Bolsonaro sobre estoque de 4 milhões de cloroquina

Em live nas redes sociais nesta quinta-feira (13), Jair Bolsonaro aproveitou para atacar governadores e prefeitos ao afirmar que "não é um decreto de prefeito ou governador que vai decidir o que você toma. É o médico"

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Mesmo com a comunidade científica mundial reafirmando que a cloroquina não tem eficácia para o tratamento da Covid-19, Jair Bolsonaro defendeu em sua live semanal, nesta quinta-feira (13), a produção de 4 milhões de pílulas de cloroquina pelo Exército e afirmou que o medicamento produzido só será vendida com receita, mas que "nada será desperdiçado".

"Alguns estavam me criticando, [dizendo] ' ah, o presidente mandou o exército fabricar comprimidos'. Não é só o exército. Se cada pessoa toma meia dúzia, com receita médica, dá 700, 800 mil doses. Mas nosso consumo anual da hidroxicloroquina para malária, lúpus, artrite, é na base de 13 milhões de comprimidos por ano. Nada vai ser jogado fora, tudo vai ser aproveitado de uma forma ou de outra", disse.

Bolsonaro abriu a live nas redes apresentando um idoso que, segundo ele, tem 100 anos e teria sido contaminado pela covid-19. Ao questionar se havia sido medicado com cloroquina, ele respondeu que não e, minutos depois, foi retirado da transmissão. O homem afirmou ter tomado azitromicina e ivermectina.

Bolsonaro aproveitou para atacar governadores e prefeitos ao afirmar que "não é um decreto de prefeito ou governador que vai decidir o que você toma. É o médico".

Bolsonaro também voltou a afirmar que por ter "histórico de atleta", não sofreu com a doença. "80% das pessoas não vão sentir nada, uma pequena gripe, nada. Sempre disse que, pela minha vida passada, sempre me cuidei, nunca fui sedentário... Fui acometido", disse.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247