Não eram 10, mas pelo menos 26 os mortos em Natal. Sob controle?

Embora os governos federal e do Rio Grande do Norte tenham anunciado dez mortos, na rebelião que teria sido controlada, no presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, já se sabe que foram pelo menos 26 mortes; todos os presos foram decapitados ou carbonizados e os líderes da rebelião picharam as paredes do presídio com a sigla da facção criminosa PCC, o Primeiro Comando da Capital; dias atrás, depois dos massacres de Manaus e Roraima, o ministro Alexandre de Moraes disse que a situação estava sob controle; mortes nas duas primeiras semanas de 2017 já se aproximam de 140

Embora os governos federal e do Rio Grande do Norte tenham anunciado dez mortos, na rebelião que teria sido controlada, no presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, já se sabe que foram pelo menos 26 mortes; todos os presos foram decapitados ou carbonizados e os líderes da rebelião picharam as paredes do presídio com a sigla da facção criminosa PCC, o Primeiro Comando da Capital; dias atrás, depois dos massacres de Manaus e Roraima, o ministro Alexandre de Moraes disse que a situação estava sob controle; mortes nas duas primeiras semanas de 2017 já se aproximam de 140
Embora os governos federal e do Rio Grande do Norte tenham anunciado dez mortos, na rebelião que teria sido controlada, no presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, já se sabe que foram pelo menos 26 mortes; todos os presos foram decapitados ou carbonizados e os líderes da rebelião picharam as paredes do presídio com a sigla da facção criminosa PCC, o Primeiro Comando da Capital; dias atrás, depois dos massacres de Manaus e Roraima, o ministro Alexandre de Moraes disse que a situação estava sob controle; mortes nas duas primeiras semanas de 2017 já se aproximam de 140 (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 – Embora os governos federal e do Rio Grande do Norte tenham anunciado dez mortos, na rebelião que teria sido controlada, no presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, já se sabe que foram pelo menos 26 mortes.

"Em coletiva de imprensa realizada no final da manhã deste domingo, o secretário de Estado da Justiça e da Cidadania do Rio Grande do Norte, Wallber Virgolino Ferreira da Silva, confirmou ao menos 10 mortos. Entretanto, ao sair da Secretaria de Estado da Segurança Pública, o secretário Wallber Virgolino Ferreira da Silva foi informado por um agente penitenciário que 27 corpos já tinham sido encontrados. 'Secretário, eu contei 27 troncos', disse o servidor ao secretário diante de jornalistas e assessores. Wallber Virgolino não comentou o número", informa o jornalista Ricardo Araújo. [eram 26, na realidade]

Muitos dos presos foram decapitados e os líderes da rebelião picharam as paredes do presídio com a sigla da facção criminosa PCC, o Primeiro Comando da Capital.

Dias atrás, depois dos massacres de Manaus e Roraima, o ministro Alexandre de Moraes disse que a situação estava sob controle.

PUBLICIDADE

No entanto, as mortes nas duas primeiras semanas de 2017 já se aproximam de 140 e a barbárie brasileira choca o mundo civilizado.

 

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email