"Não são pessoas de bem. São bandidos", afirma Barroso sobre autores de fake news

“São milícias, gangues que precisam ser neutralizadas e estamos fazendo todo o possível para enfrentá-los dentro da lei”, afirmou o ministro do STF e presidente do TSE, Luís Roberto Barroso

Reunião do ministro Luís Roberto Barroso com os presidentes dos TRs
Reunião do ministro Luís Roberto Barroso com os presidentes dos TRs (Foto: Abdias Pinheiro/ASCOM/TSE)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, afirmou que os autores de fake news e campanhas de ódios nas redes sociais "são bandidos".

A declaração foi feita durante uma live, na abertura do 1º Congresso Internacional de Direito Partidário realizado nesta sexta-feira (24), mesmo dia em que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, determinou que contas de bolsonaristas investigados no inquérito das fake news fossem banidas do Twitter, .

“A democracia tem lugar para conservadores, liberais e progressistas. Só não tem lugar para a intolerância, a violência e a tentativa de destruir das instituições. Quando isso acontece, as instituições de bens têm de agir. Repito, não são pessoas de bem. São bandidos”, disse o ministro, segundo reportagem da Folha.

Barroso não citou especificamente o inquérito, mas defendeu a atuação das instituições no combate à disseminação de notícias falsas.

“Só elas (as instituições) têm a capacidade de fazer o controle das campanhas de desinformação, das campanhas de ódio, sem propriamente fazer m controle de conteúdo”, afirmou.

E acrescenta: “São milícias, gangues que precisam ser neutralizadas e estamos fazendo todo o possível para enfrentá-los dentro da lei”.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247