Nasa desbanca tese de Bolsonaro e aponta que queimadas são fruto de desmatamento

Análise da agência espacial dos EUA, Nasa, conclui que a maior parte dos incêndios na Amazônia brasileira desde junho ocorreu em áreas desmatadas

Hamilton Mourão e Jair Bolsonaro; vista aérea de área desmatada da Amazônia em Itaituba, no Pará
Hamilton Mourão e Jair Bolsonaro; vista aérea de área desmatada da Amazônia em Itaituba, no Pará (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino | REUTERS/Ricardo Moraes)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Análise feita pela Nasa (agência espacial dos Estados Unidos) sobre desmatamentos na região da Amazônia conclui que as queimadas no território brasileiro desde junho são fruto principalmente de desmatamento ocorridos recentemente. Segundo reportagem do Globo, 54% do fogo na Amazônia em 2020 têm origem no desmatamento.

A avaliação contraria posicionamentos de Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão, que sempre insistiram em dizer que não havia relação entre focos de incêndio e os índices de desmatamento.

A análise da Nasa é baseada em uma nova ferramenta da agência, desenvolvida em parceria com a Universidade da Califórnia em Irvine, nos EUA, e com a Universidade Cardiff, no País de Gales, que classifica os incêndios na Amazônia, informa reportagem da Folha de S.Paulo

A análise é feita a partir das características do fogo, como tamanho e comportamento, para identificar se os incêndios surgiram a partir de desmatamentos ou limpeza de pasto, por exemplo. As queimadas ligadas a desmatamentos, por exemplo, são maiores, duram mais tempo e apresentam colunas de fumaças maiores, explica a reportagem, com base na análise.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email