Nassif relata influência do pensamento militar brasileiro na direita

"Para o general General Sérgio Augusto de Avelar, o Estado de Bem Estar, implementado pela social-democracia, seria uma forma de sociedade socialista", diz o jornalista Luis Nassif no Jornal GGN; "segundo o professor Eduardo Costa Pinto, da UFRJ, trata-se de uma adaptação da visão da extrema direita americana sobre os 'pequenos governos'. A diferença é que a visão da alt-right americana é da globalização, enquanto a dos Bolsonaro é da defesa da globalização e da abertura comercial", diz Nassif

Nassif relata influência do pensamento militar brasileiro na direita
Nassif relata influência do pensamento militar brasileiro na direita (Foto: Dir.: Valter Campanato - ABR)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornalista Luis Nassif diz no Jornal GGN diz que "o professor Eduardo Costa Pinto, do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), traz algumas luzes sobre as ideias que ajudaram a moldar a nova face do anticomunismo no Exército: a luta contra o marxismo cultural, do qual o principal expoente foi o General Sérgio Augusto de Avelar Coutinho, falecido em 2011".

"A visão do Estado como um instrumento de opressão – e de fortalecimento do socialismo – vem dos tempos do New Deal. Para o general Coutinho, o Estado de Bem Estar, implementado pela social-democracia, seria uma forma de sociedade socialista. Segundo Costa Pinto, trata-se de uma adaptação da visão da extrema direita americana sobre os 'pequenos governos'. A diferença é que a visão da alt-right americana é da globalização, enquanto a dos Bolsonaro é da defesa da globalização e da abertura comercial", diz o jornalista.

Segundo Nassif, "Costa Pinto vai buscar em entrevistas atuais de militares brasileiros, os indícios da influência do general Coutinho". Confira ao menos duas entrevistas:

Do General Villas Boas

“Nós vivemos um fenômeno no Brasil e também no mundo que é o advento do pensamento do politicamente correto  […]  O  que  está  acontecendo  é  que  ele  [o  politicamente  correto]  está  tão impregnado  na  nossa  sociedade  ele  está  fazendo  com  que  todos  pensem  da  mesma maneira. […]. O pensamento politicamente correto se ideologiza e quando as questões são ideologizadas elas perdem a visão de resultado […]. Então quando mais temos de ambientalismo  mais  dano  ambiental;  […  quanto  mais  essa  preocupação  racial  mais preconceito  temos[…].  Quanto  mais  essa  questão  de  gênero  mais  preconceito homofóbico  vivemos  […]  E  mais  essa  quase  ditadura  do  relativismo  que  nós  estamos experimentando faz com se flexibilize todos os limites”. “

Do Ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno:

“Nós beiramos [o socialismo], até tentamos com o Foro de São Paulo, alguns partidos que defendiam as teses socialistas […] Nós estivemos bem próximo disso acontecer, só que faziam uma máscara para fingir que não era, mas o caminho procurado era esse. Tanto é assim que as novas referências durante algum tempo foram Cuba e foram a própria Venezuela […]”.

“(…) Da Intentona de 1935, passando pela luta armada de 1960, até os governos de FHC e do PT, os comunistas e socialistas continuam como o mesmo objetivo: “realizar a revolução socialista”. ”

Leia a íntegra no Jornal GGN

 

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247