CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Navios voltam a atracar no Porto de Suape, em Pernambuco

Embarcações não estavam conseguindo carregar e descarregar seus produtos por falta do Certificado de Livre Prática, emitido pela Anvisa, que está em greve; liminares na Justiça Federal garantiram a atracação

Navios voltam a atracar no Porto de Suape, em Pernambuco (Foto: Divulgação)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

PE247 – Navios que aguardavam vistoria de técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que estão em greve, no Porto de Suape, começaram a atracar, nesta quarta-feira (25), através de liminares concedidas pela Justiça Federal. De um total de 12 embarcações, quatro conseguiram a decisão e já estão carregando e descarregando cargas. O empecilho se deu porque todo navio que chega a um terminal brasileiro precisa do Certificado de Livre Prática, emitido pela Agência, que autoriza os navios a fazerem embarque e desembarque.

As outras oito embarcações também entraram na Justiça e poderão receber liminar semelhante na quinta-feira. “Entramos com uma liminar na Justiça Federal pedindo a liberação dos Certificados de Livre Prática para que as embarcações possam entrar no Porto de Suape”, informou o presidente do Sindicato das Agências de Navegação do Estado de Pernambuco (Sindanpe), Ricardo Luiz Von Sohsten Von Shsten ao Diario de Pernambuco.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A paralisação da Anvisa, que está com apenas 30% da frota em atividade, se deve à reivindicação de aumento salarial em 25%. O Ministério da Saúde informou que a greve não vai atrapalhar serviços essenciais, como o descarregamento de remédios e subsídios para transfusão de sangue.

Tirando como exemplo um navio que transporte combustível, o sindicalista explica que, por conta desta paralisação, haveria demora no abastecimento de gasolina nos postos. A Anvisa cumpre a função de emitir o certificado para permitir a entrada de navios no porto.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

“Caso a Justiça não concedesse a liminar, poderíamos ter sérios prejuízos. Haveria demora no desembarque de um navio que transporta combustível, retardaria o abastecimento nos postos de gasolina, consequentemente, poderia haver um aumento no preço do produto”, exemplificou o dirigente. A assessoria de imprensa do Porto de Suape informou que a liberação já está sendo feita.

As informações dão conta de que outros portos, como o de Santos-SP, Itajaí-SC, Rio de Janeiro-RJ, Vitória-ES, Itaqui-RS, Maceió-AL, Paranaguá-PR, Salvador-BA e Cabedelo-PB, inclusive o de Recife, também sofreram impactos dessa natureza por conta da greve.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO