Neto de ditador brasileiro é preso nos EUA por esquema de propinas no BRB

O empresário Paulo Renato de Oliveira Figueiredo, neto do general João Batista Figueiredo, último presidente da ditadura militar, foi preso por autoridades dos EUA. Renato era alvo de um mandado de prisão preventiva expedido no âmbito da Operação Circus Maximus, que apura o pagamento de propinas a dirigentes do BRB para a liberação de recursos para a construção do extinto Trump Hotel, no Rio de Janeiro

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O empresário Paulo Renato de Oliveira Figueiredo, neto do general João Batista Figueiredo, último presidente da ditadura militar, foi preso por autoridades dos Estados Unidos. Renato era alvo de um mandado de prisão preventiva expedido no âmbito da Operação Circus Maximus, que apura a suspeita do pagamento de propinas a dirigentes do BRB, banco controlado pelo governo do Distrito Federal, para a liberação de recursos para a construção do extinto Trump Hotel, no Rio de Janeiro.

Paulo Renato era considerado foragido desde janeiro, quando a operação foi deflagrada pela Polícia Federal. Segundo as investigações, o empresário se associou ao presidente dos Estados Unido, Donald Trump, em 2013, visando a construção e exploração da unidade hoteleira. 

Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo, A Trump Organization teria cedido sua marca para o empreendimento até 2016, quando deixou o negócio por conta das investigações realizadas pela PF. De acordo com os investigadores, cerca de R$ 16,5 milhões em propinas teriam sido pagas a dirigentes do BRB para que fossem liberados recursos originários de fundos de pensão de estatais que eram administrados pela instituição financeira. 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247