No Brasil pós-golpe, diálogo se tornou inviável, aponta Kotscho

O jornalista Ricardo Kostcho diz que as palavras foram perdendo a força e o sentido, são "meros adereços descartáveis", e perderam o respeito de seu significado original; "É como acontece no Supremo Tribunal Federal em que cada ministro interpreta as palavras da Constituição a seu modo particular"

No Brasil pós-golpe, diálogo se tornou inviável, aponta Kotscho
No Brasil pós-golpe, diálogo se tornou inviável, aponta Kotscho

247 - O jornalista Ricardo Kotscho avalia neste sábado, 30, que o Brasil vive um "diálogo de surdos" com as pessoas falando cada vez mais alto para vencer a batalha verbal.

"Não é que estamos ficando todos surdos ou cegos, mas é que não ouvem ou leem aquilo que a gente quis dizer. Pouco importa o que você fala, o outro já tem uma opinião formada, tanto faz qual seja o assunto, e é definitiva. Nada muda o pensamento do dono da verdade, como se pode notar nos comentários enviados pelos internautas para este blog, ou qualquer outro nas redes sociais", diz Kotscho. 

Para o jornalista, ninguém mais admite mudar de ideia, todos estão convictos das suas certezas, tanto faz se estão falando baseados em fake news ou hard news. "Os fatos que se danem, o que vale é o que eu penso", diz ele. 

Ricardo Kostcho diz que as palavras foram perdendo a força e o sentido, são "meros adereços descartáveis", e perderam o respeito de seu significado original. "É como acontece no Supremo Tribunal Federal em que cada ministro interpreta as palavras da Constituição a seu modo particular."

Leia o texto na íntegra no Balaio do Kotscho

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247