No pior dia da pandemia no Brasil, com 1.726 mortes, Bolsonaro promove almoço alegre e descontraído

No dia em que o Brasil registrou um número recorde de mortes (1.726) por Covid-19, Jair Bolsonaro promoveu almoço em que, bem descontraído e alegre, encarou com indiferença a tragédia humanitária no país

Cruzes para marcar vítimas da Covid-19 no Brasil
Cruzes para marcar vítimas da Covid-19 no Brasil (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - Jair Bolsonaro promoveu um encontro informal com poíticos nesta terça-feira (2), mesmo dia em que o Brasil registrou número recorde de mortes (1726) por Covid-19. Ele promoveu um almoço no Palácio do Planalto, em que se mostrou alegre e descontraído.

Enquanto isso, governadores e prefeitos se reuniam para tratar da pandemia e discutir medida para enfrentar a situação emergencial de crise humanitária. 

A informação de que Bolsonaro estava "alegre" e "bem descontraído" foi dada ao Painel da Folha de S.Paulo pelo deputado Fábio Ramalho (MDB-MG), que foi convidado a preparar um leitão para almoço temático “informal” no Palácio do Planalto. Ramalho diz que não houve medidas concretas deliberadas no encontro no Palácio do Planalto, mas que o presidente falou que há muitas vacinas para chegar

PUBLICIDADE

Com a pandemia escalando para o seu pior momento no país, o grupo de governadores, que não se encontra com Bolsonaro há 286 dias, fez reunião com Arthur Lira (PP-AL) —oito deles presencialmente, em Brasília, e 14 à distância. 

Em São Paulo, João Doria (PSDB-SP) fez encontro com 618 prefeitos ou seus representantes para discutir novas medidas de controle. 

Nas redes sociais, Bolsonaro compartilhou pela manhã uma nota do Conselho Regional de Medicina do Distrito Federal contra os lockdowns para conter a pandemia e à tarde tratou do episódio em que foi flagrado pescando em área de proteção ambiental, em 2012. 

PUBLICIDADE

O Brasil registrou 1.726 mortes nesta terça-feira (2), maior número diário de vidas perdidas de toda a pandemia até agora. Em Porto Alegre (RS), o hospital Moinhos de Vento alugou contêineres para acomodar os corpos de vítimas da Covid-19.

Secretários de Saúde divulgaram carta pedindo toque de recolher nacional das 20h às 6h. Lira e governadores citaram R$ 14,5 bilhões a mais para combate à Covid-19 no Orçamento 2021.

 

PUBLICIDADE

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email