Nova denúncia contra Temer é "gravíssima', diz OAB

Presidente nacional da OAB é "gravíssima; por meio de nota, Lamachia destacou que o Brasil nunca viveu uma "crise de tais proporções"; "(A PGR) Acusa-o de formar a liderar uma quadrilha integrada pela cúpula de seu partido, o PMDB, de que fazem parte alguns ministros de Estado. Teriam lesado os cofres de diversos órgãos estatais. Jamais a República brasileira testemunhou crise de tais proporções", ressaltou

Presidente nacional da OAB é "gravíssima; por meio de nota, Lamachia destacou que o Brasil nunca viveu uma "crise de tais proporções"; "(A PGR) Acusa-o de formar a liderar uma quadrilha integrada pela cúpula de seu partido, o PMDB, de que fazem parte alguns ministros de Estado. Teriam lesado os cofres de diversos órgãos estatais. Jamais a República brasileira testemunhou crise de tais proporções", ressaltou
Presidente nacional da OAB é "gravíssima; por meio de nota, Lamachia destacou que o Brasil nunca viveu uma "crise de tais proporções"; "(A PGR) Acusa-o de formar a liderar uma quadrilha integrada pela cúpula de seu partido, o PMDB, de que fazem parte alguns ministros de Estado. Teriam lesado os cofres de diversos órgãos estatais. Jamais a República brasileira testemunhou crise de tais proporções", ressaltou (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, disse que nova denúncia 0ferecida pela Procuradoria-Geral da República (PGR) – por obstrução da Justiça e organização criminosa - contra Michel Temer é "gravíssima. Por meio de nora, Lamachia destacou que o Brasil nunca viveu uma "crise de tais proporções".

"(A PGR) Acusa-o de formar a liderar uma quadrilha integrada pela cúpula de seu partido, o PMDB, de que fazem parte alguns ministros de Estado. Teriam lesado os cofres de diversos órgãos estatais. Jamais a República brasileira testemunhou crise de tais proporções", ressaltou Lamachia na nota. Além de Temer, o Ministério Público Federal (MPF) também denunciou os ex-deputados Eduardo Cunha, Rodrigo Rocha Loures e Henrique Alves, o ex-ministro Geddel Vieira Lima e ministros Eliseu Padilha e Moreira Franco, todos integrantes do PMDB.

"Não é hora de estardalhaços, nem de tentativas de explorar politicamente o quadro. Mais do que nunca, a regularidade institucional precisa ser garantida pelo bom senso, lisura e serenidade. Não há outro caminho para que o país supere a crise e dela saia mais fortalecido: só pela lei. Fora dela, não há salvação", ressaltou.

Em maio, a OAB protocolou um pedido de impeachment contra Temer, mas o documento sequer chegou a ser apreciado pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247