Número de alertas de desmatamento na Amazônia é o segundo pior em cinco anos, apontam dados do Inpe

O Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou que o desmatamento na Amazônia Legal desde 2015, com um total de 8.426 km². Os alertas foram feitos pelo Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter)

Jair Bolsonaro / Amazônia em crise
Jair Bolsonaro / Amazônia em crise (Foto: Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe) informou nesta sexta-feira (8) que o desmatamento na Amazônia Legal desde 2015, com um total de 8.426 quilômetros (km²). O mês de dezembro teve um aumento de 14% em relação a 2019. O índice de 2020 ficou abaixo somente o recorde histórico de 2019, com 9.178 km² alertas. O número foi de 4.951 km² em 2018. Os alertas foram feitos pelo Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (Deter).

A Amazônia Legal registrou o maior índice de áreas sob alerta de desmatamento no ano: 1.658,97 km². Agosto e setembro registraram os segundos piores índices nos cinco anos: 1.358,78 km² e 964,45 km², respectivamente.

Os dois anos do governo Jair Bolsonaro são o pior cenário de alertas detectado pelo sistema na região amazônica. 

De acordo com o secretário-executivo do Observatório do Clima, Marcio Astrini, os dados refletem as políticas de destruição ambiental do atual governo.

"Bolsonaro tem dois anos de mandato e os dois piores anos de Deter ocorreram na gestão dele. As queimadas, tanto na Amazônia quanto no Pantanal, também cresceram por dois anos consecutivos. Não é coincidência, mas sim o resultado das políticas de destruição ambiental implementadas pelo atual governo", disse.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email