O FMI agora pede favor

Chega ao Brasil nesta segunda Christine Lagarde, ministra das Finanas da Frana e candidata a chefiar oFundo Monetrio Internacional; campanha dela comeaaqui; que humildade...

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247, com informações de agências de notícias – O conceito do Brasil junto ao Fundo Monetário Internacional (FMI) mudou da água para o vinho – francês, diga-se de passagem – nos últimos 30 anos. Se no início da década de 1980 os brasileiros tinham que engolir a sisuda chilena Ana Maria Jul, que ia a Brasília para fiscalizar o cumprimento das metas estabelecidas para o governo do general João Figueiredo, agora uma aspirante ao comando do velho FMI vem ao País para pedir favor, ou melhor, voto.

Ministra francesa das Finanças e candidata à direção do organismo internacional, Christine Lagarde, iniciará na segunda-feira no Brasil as visitas aos países emergentes que fará como parte da campanha. Lagarde declarou que começará sua campanha pelo Brasil nesta segunda-feira porque foi o primeiro país a responder ao seu pedido.

“Eu decidi visitar todos os países emergentes. Pedi para visitar o Brasil, a China, a Índia e alguns países da África” disse, acrescentando que provavelmente também visitará alguns países do Oriente Médio.

Os países emergentes “são aqueles que expressam atualmente uma preocupação e uma frustração. Eles querem que seus interesses e sua situação econômica sejam reconhecidos e expressados na direção dos órgãos internacionais”, declarou.

Os BRICS, grupo que reúne as cinco principais potências emergentes ( Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) têm criticado o controle dos europeus sobre o cargo de diretor-gerente do FMI, mas não foram capazes de entrar em acordo sobre um único candidato.

O diretor do FMI é tradicionalmente um europeu, enquanto os americanos ocupam o cargo principal do Banco Mundial. Christine Lagarde confirmou sua candidatura à direção do FMI após a renúncia do também francês Dominique Strauss-Kahn, que responde a acusações de violência sexual em Nova York.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email