"O nome disso é assassinato", diz Arthur Virgílio Neto sobre a falta de oxigênio em Manaus

Ex-prefeito de Manaus diz que em apenas uma unidade de saúde, 28 pessoas morreram por falta de oxigênio nesta quinta-feira. "O que acontece em Manaus é assassinato aos moldes de Hitler, por asfixia. Isso é doloroso e cruel", disse Arthur Virgilio em vídeo, em crítica ao governador

Arthur Virgilio
Arthur Virgilio (Foto: Alex Pazuello/Secom)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto (PSDB) reagiu com indignação à falta de oxigênio para pacientes com Covid-19 em unidades hospitalares da capital amazonense. 

Virgílio Neto culpou o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), pelo descaso e classificou as mortes como assassinatos. 

"Somente hoje foram 28 mortos por falta de oxigênio no Pronto Socorro 28 de Agosto. Wilson Lima você é o pior governador que o Amazonas já teve e o que acontece em Manaus é assassinato aos moldes de Hitler, por asfixia. Isso é doloroso e cruel", disse Arthur Virgilio em vídeo no Twitter. 

"Eu queria dizer diretamente ao governador do estado que o nome disso é assassinato", afirmou o ex-prefeito. "Como é assassinato se comprar respirador falso, respirador que não serve para curar ninguém, ainda mais em loja de vinho e com preços superfaturados", acrescentou.

Assista:

 Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247