O PSDB acabou, diz jornalista

A jornalista Daniela Lima, do jornal Folha de S. Paulo, afirma que o PSDB deixará de existir tal qual o conhecemos um dia. Para Lima, Doria passa a controlar o partido e dará prioridade a seus projetos pessoais; o tucanato que um dia dominou a sigla será cada vez mais empurrado para fora das decisões e a adesão ao governo Bolsonaro pode ser a pá de cal em um partido que chegou a protagonizar a cena politica nacional junto com o PT

O PSDB acabou, diz jornalista
O PSDB acabou, diz jornalista (Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  A jornalista Daniela Lima, do jornal Folha de S. Paulo, afirma que o PSDB deixará de existir tal qual o conhecemos um dia. Para Lima, Doria passa a controlar o partido e dará prioridade a seus projetos pessoais. O tucanato que um dia dominou a sigla será cada vez mais empurrado para fora das decisões e a adesão ao governo Bolsonaro pode ser a pá de cal em um partido que chegou a protagonizar a cena politica nacional junto com o PT. 

Em artigo publicado no jornal Folha de S. Paulo, a jornalista destaca que "a equação que soma uma derrota acachapante na eleição presidencial à vitória suada de João Doria na disputa pelo governo de São Paulo resulta na inevitável conclusão de que o PSDB, tal qual o conhecemos, terá acabado a partir de 2019."

Daniela Lima relembra situações nas eleições que fizeram com que o desenho do partido para 2019 fosse tão diferente: "na campanha, quando Alckmin amargava índices pífios de intenção de voto na corrida pelo Planalto, foi o primeiro a dizer em alto e bom som que Jair Bolsonaro (PSL) teria vaga garantida no segundo turno após sofrer um atentado. Quando a previsão ganhou ares de irreversível, declarou apoio ao hoje presidente eleito numa tentativa de surfar a onda de direita inflada por Bolsonaro."

E faz um prognóstico para os passos seguintes de Doria: "para chegar ao lugar que almeja, Doria tentará desfigurar e dar novo rosto à sigla. Fará isso buscando o caminho da direita. Resta saber se acertará a dose, dado que a parcela do país que parece se identificar com esse discurso já encontrou no PSL um nome para depositar suas expectativas."

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247