Odebrecht: executivos da Braskem mentiram sobre suposto caixa 2 ao PT

Cumprindo prisão domiciliar desde dezembro de 2017, após passar dois anos e meio preso em Curitiba, Marcelo Odebrecht afirma que executivos da Braskem, empresa que a Odebrecht mantém em sociedade com a Petrobras, mentiram sobre suposto Caixa 2 entregue ao PT nas campanhas de 2010 e 2014

247 - Cumprindo prisão domiciliar desde dezembro de 2017, após passar dois anos e meio preso em Curitiba, Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empresa nomeada com o sobrenome dele, afirma que executivos da Braskem, empresa que a construtora mantém em sociedade com a Petrobras, mentiram sobre suposto Caixa 2 entregue ao PT nas campanhas de 2010 e 2014.

De acordo com reportagem de Mario Cesar Carvalho e Wálter Nunes na edição desta segunda-feira (1º) publicada pelo jornal Folha de S.Paulo, Marcelo Odebrecht diz em um email:

"Acho importante retificar (até que se tenha o volume correto ainda a identificar de outros destinatários) que uma parte dos aproximadamente R$ 150 milhões que é citado como tendo sido direcionados ao PT/governo federal, no contexto das campanhas presidenciais de 2010 e 2014, não foi caixa 2, e sim de doações oficiais ou via terceiros (que tem sido chamada de caixa 3)".

Segundo os e-mails de Odebrecht, a Braskem também teria omitido nas delações o pagamento de propina para dirigentes do MDB com o objetivo de fazer a empresa comprar energia mais barata da Chesf (Centrais Hidrelétricas do Rio São Francisco), que era comandada pelo MDB.

Conheça a TV 247

Mais de Brasil

Ao vivo na TV 247 Youtube 247