CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Oposição tenta no STF CPI só sobre Petrobras

PSDB e PSB estudam a possibilidade de ir até ao Supremo Tribunal Federal para barrar a orientação dada pelo Palácio do Planalto de retaliar os pré-candidatos de oposição Aécio Neves e Eduardo Campos, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, com a ampliação das investigações, incluindo tanto o rumoroso caso do cartel do metrô nos governos tucanos em São Paulo quanto as possíveis irregularidades na construção do Porto de Suape, em Pernambuco; "É uma manobra diversionista. Não pode desvirtuar, mudar o objeto à revelia daqueles que o propuseram", afirma o líder do PSDB, senador Aloysio Nunes

Imagem Thumbnail
PSDB e PSB estudam a possibilidade de ir até ao Supremo Tribunal Federal para barrar a orientação dada pelo Palácio do Planalto de retaliar os pré-candidatos de oposição Aécio Neves e Eduardo Campos, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, com a ampliação das investigações, incluindo tanto o rumoroso caso do cartel do metrô nos governos tucanos em São Paulo quanto as possíveis irregularidades na construção do Porto de Suape, em Pernambuco; "É uma manobra diversionista. Não pode desvirtuar, mudar o objeto à revelia daqueles que o propuseram", afirma o líder do PSDB, senador Aloysio Nunes (Foto: Valter Lima)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - A oposição estuda a possibilidade de ir até mesmo ao Supremo Tribunal Federal (STF) para barrar a orientação dada pelo Palácio do Planalto de retaliar os pré-candidatos do PSDB, Aécio Neves, e do PSB, Eduardo Campos, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, com a ampliação das investigações, incluindo tanto o rumoroso caso do cartel do metrô em São Paulo quanto as possíveis irregularidades na construção do Porto de Suape, em Pernambuco.

Para o governo, tirar a presidente Dilma Rousseff do foco e neutralizar o envolvimento dela na rumorosa compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, é a prioridade do momento. Líderes da base se reúnem no início da semana para definir o melhor momento para apresentar um adendo à CPI e, assim, incluir nas investigações o caso que envolve tucanos no cartel do metrô de São Paulo e possíveis irregularidades na construção do Porto de Suape, em Pernambuco, Estado governado por Campos.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Os aliados se apoiam no precedente da CPI dos Bingos, que em 2005 tinha como objetivo inicial de apurar o jogo ilegal no País, mas investigou até o assassinato do ex-prefeito de Santo André, o petista Celso Daniel, e acabou apelidada de CPI do "Fim do Mundo".

Contra isto, a oposição irá primeiro ao próprio Senado questionar a ampliação do foco, podendo usar recursos em plenário e na Comissão de Constituição e Justiça. Em minoria na Casa, já esperando a derrota, outro caminho é recorrer ao Supremo. "É uma manobra diversionista. Tenho certeza que a Mesa do Senado não vai abrigar algo que é apenas uma ameaça à oposição. Não pode desvirtuar, mudar o objeto à revelia daqueles que o propuseram", afirmou o líder do PSDB, senador Aloysio Nunes (SP). O tucano garante que apoiaria uma CPI do metrô de São Paulo separadamente.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO