“Os militares hoje podem assimilar um impeachment de Bolsonaro”, diz professor Camilo Caldas

O professor apontou para os riscos de a chapa Bolsonaro-Mourão ser cassada, ressaltando que os militares, nesse caso, favoreceriam uma ruptura institucional. Outra possibilidade seria o impeachment de Bolsonaro. Com Mourão na presidência, no entanto, “o risco é ele ser mais competente para levar adiante medidas contrárias aos interesses dos trabalhadores”, diz

(Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

 247 - Em entrevista à TV 247, o professor Camilo Caldas, pós-doutor em Democracia e Direitos Humanos pela Universidade de Coimbra, em Portugal, avaliou a possibilidade de uma ruptura institucional ocorrer no Brasil.

Para Caldas, uma hipótese é o impeachment de Jair Bolsonaro. Outra é a cassação da chapa, que tem como vice Hamilton Mourão.

“Agora, no caso de só o presidente ser deposto através de impeachment, os militares conseguiriam assimilar isso de uma maneira muito mais confortável, pois o vice que viria é do mesmo quadro do presidente”, ressalta.

No entanto, o professor alerta que este caminho pode levar o Brasil a mais desgraça. “Eu diria que no caso do Mourão, ainda que a gente se livre do problema que é Jair Bolsonaro, existe um outro risco. Com ele sendo um pouco mais articulado política e tecnicamente, conseguiria levar a cabo certas medidas que contrariam os interesses dos trabalhadores”, completa. 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email