Oxfam: Alberto Freitas foi vítima do racismo estrutural que população negra enfrenta no Brasil diariamente

A diretora executiva da Oxfam Brasil, Katia Maia, disse que a morte do homem negro por seguranças do Carrefour em Porto Alegre foi "mais um ato bárbaro" que indigna e exige punição exemplar

Diretora-executiva da Oxfam, Kátia Maria
Diretora-executiva da Oxfam, Kátia Maria (Foto: Divulgação/Oxfam)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Oxfam Brasil afirmou nesta sexta-feira (20) que o assassinato brutal do homem negro João Alberto Silveira Freitas por seguranças do supermercado Carrefour em Porto Alegre foi "mais um ato bárbaro" que indigna e exige punição exemplar dos responsáveis. 

“A violência que tirou a vida de João Alberto é mais um exemplo do racismo estrutural que a população negra brasileira enfrenta todos os dias no país”, afirma Katia Maia, diretora executiva da Oxfam Brasil.

"A Oxfam Brasil se solidariza com a família de João Alberto e cobra das autoridades ação inequívoca contra os que cometeram o crime", diz a organização da sociedade civil. 

 Inscreva-se na TV 247, seja membro, e compartilhe:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email