CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

Palocci contesta apelido de italiano nas planilhas de Odebrecht

Advogado de defesa do ex-ministro Antonio Palocci, José Roberto Batochio, contesta o apelido atribuído a seu cliente nas planilhas de supostas propinas da Odebrecht; ele afirma que um e-mail escrito pelo empresário Marcelo Odebrecht em 2010 contradiz a versão de que o personagem que aparece em papéis com o codinome de "Italiano" seja Palocci; "Italiano não estava na diplomação", escreveu Marcelo referindo-se à cerimônia em que a presidente Dilma Rousseff foi reconhecida como eleita em 17 de dezembro de 2010; Palocci, porém, esteve no local

Advogado de defesa do ex-ministro Antonio Palocci, José Roberto Batochio, contesta o apelido atribuído a seu cliente nas planilhas de supostas propinas da Odebrecht; ele afirma que um e-mail escrito pelo empresário Marcelo Odebrecht em 2010 contradiz a versão de que o personagem que aparece em papéis com o codinome de "Italiano" seja Palocci; "Italiano não estava na diplomação", escreveu Marcelo referindo-se à cerimônia em que a presidente Dilma Rousseff foi reconhecida como eleita em 17 de dezembro de 2010; Palocci, porém, esteve no local (Foto: Roberta Namour)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O advogado de defesa do ex-ministro Antonio Palocci, José Roberto Batochio, contesta o apelido atribuído a seu cliente nas planilhas de supostas propinas da Odebrecht.

Ele afirma que um e-mail escrito pelo empresário Marcelo Odebrecht em 2010 contradiz a versão de que o personagem que aparece em papéis da Odebrecht com o codinome de "Italiano" seja Palocci.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Na mensagem, Marcelo afirma que "Italiano não estava na diplomação", referindo-se à cerimônia em que a presidente Dilma Rousseff foi reconhecida como eleita em 17 de dezembro de 2010. Palocci, porém, esteve nessa cerimônia.

"Qualquer pessoa que apresente uma versão diferente está desmentindo o Marcelo e as fotos feitas na diplomação", afirma Batochio, em entrevista à ‘Folha de S. Paulo’.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

No documento, o nome de "Italiano" aparece associado a R$ 6 milhões e o de "Pós Itália", que seria uma referência a Guido Mantega, a R$ 50 milhões (leia aqui).

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO