Para ampliar vigilância sobre servidores, Salles ordena retirada de portas e divisórias de ministério

Ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, determinou a retirada de todas as portas e divisórias que haviam sido instaladas no prédio da pasta; oficialmente, a medida é fazer com que o ambiente se torne mais aberto, acessível e transparente aos servidores, que temem que isso leve a um aumento da vigilância sobre os funcionários

(Foto: Ag. Senado | Reprodução)

247 - Em meio ao clima de “caça às bruxas” reinante no Ministério do Meio Ambiente, o ministro Ricardo Salles determinou a retirada de todas as portas e divisórias que haviam sido instaladas no prédio da pasta, na Esplanada dos Ministérios. Oficialmente, a medida é fazer com que o ambiente se torne mais aberto, acessível e transparente aos servidores, que temem que isso leve a um aumento da vigilância sobre os funcionários, diz a jornalista Bela Megale em sua coluna no jornal O Globo. 

Nos últimos meses, servidores do Ministério, do Ibama e do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) dizem viver em meio a uma espécie de clima de “caça às bruxas”, o que levou a associações de servidores a moverem sete ações contra o ministro por assédio moral coletivo e pelo desmonte das politicas de proteção ao meio ambiente.

Tanto o Ibama quanto o ICMBio também foram proibidos de atenderem de forma direta a pedidos de informação. Por determinação de Salles as informações sobre a pasta somente poderão ser repassadas após passarem pelo crivo da área de comunicação da pasta. Até mesmo documentos ações administrativas que antes eram disponibilizados nos sistemas internos do ministério agora são classificados como sigilosos. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247