Para Gurgel, recursos não devem mudar condenações

Para o procurador-geral da República, também devem ser rejeitados os chamados embargos infringentes, decisão que deve ser tomada pleo plenário da corte na próxima semana; "São totalmente inadmissiveis os embargos infringentes nesse caso", disse Roberto Gurgel

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, defendeu nesta quarta-feira 14 que os embargos apresentados pelos réus do julgamento da Ação Penal 470, o chamado 'mensalão', não mudem as condenações definidas pelo Supremo Tribunal Federal no final do ano passado.

"São totalmente inadmissíveis os embargos infringentes nesse caso", disse Gurgel, em referência ao tipo de recurso que se dá quando o réu recebe um mínimo de quatro votos pela absolvição. A decisão final sobre a aceitação ou rejeição do embargo será feita pelo plenário na próxima semana.

A corte retomou o julgamento hoje com a análise dos embargos declaratórios dos condenados. Gurgel, que deixa o cargo nesta quinta-feira 15, com o fim de seu mandato, participará apenas da primeira sessão desta segunda etapa do julgamento.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email