Para justificar ataque contra candidatura Lula, MPE alega desperdício de recursos

Para justificar o pedido de antecipação feito ao TSE para impedir o registro da candidatura de Lula, o MPE alegou que ele está "patentemente inelegível" e que "as campanhas eleitorais atuais que o legislador permite são fundamentalmente custeadas por recursos públicos. Recursos públicos não podem ser desperdiçados com campanhas eleitorais estéreis, e sem viabilidade jurídica"; caso entrou na pauta do TSE antes mesmo que os ministros da Corte pudessem ler a defesa de 200 páginas apresentada nesta madrugada

Para justificar ataque contra candidatura Lula, MPE alega desperdício de recursos
Para justificar ataque contra candidatura Lula, MPE alega desperdício de recursos

247 - Em novo ataque contra a candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o Ministério Público Eleitoral (MPE) defendeu a antecipação, para esta sexta-feira (31), do julgamento do registro da candidatura Lula junto pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo o MPE, Lula está "patentemente inelegível", além de alegar que "as campanhas eleitorais atuais que o legislador permite são fundamentalmente custeadas por recursos públicos. Recursos públicos não podem ser desperdiçados com campanhas eleitorais estéreis, e sem viabilidade jurídica".O caso entrou na pauta do TSE antes mesmo que os ministros da Corte pudessem ler a defesa de 200 páginas apresentada nesta madrugada.

Na ação que pede a antecipação do julgamento, o procurador Humberto Jacques de Medeiros pede, ainda, que o TSE determine a devolução dos recursos originários do fundo eleitoral usado pela campanha de Lula, além de pedir que o PT seja notificado para que substitua Lula como candidato em um prazo de até dez dias. Medeiros também pede a participação de Lula em atos de campanha e a retirada de seu nome da programação da urna eletrônica.

Leia mais sobre o assunto no Brasil 247.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247