Para militares, decisão de Fux prolonga desgaste do governo

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, teria dito um interlocutor próximo ao presidente Jair Bolsonaro, ao G1; o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux atendeu pedido de Flavio, de quem Queiroz foi assessor

Para militares, decisão de Fux prolonga desgaste do governo
Para militares, decisão de Fux prolonga desgaste do governo
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A área militar do Governo Bolsonaro teria demonstrado descontentamento com a suspensão das investigações relacionadas ao ex-assessor Fabrício Queiroz, consideradas atípicas pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf).

Segundo o G1, auxiliares do presidente Jair Bolsonaro (PSL) acreditam que o prolongamento do caso aumentaria o desgaste do governo e do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). 

“Ainda não há uma explicação convincente. Enquanto isso não acontecer, o desgaste desse caso vai continuar. Já está demorando demais”, comentou ao G1 um interlocutor próximo ao presidente.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux atendeu pedido de Flavio, de quem Queiroz foi assessor. O Coaf apontou movimentação de R$ 1,2 milhão em uma conta bancária de Queiroz durante um ano sem que houvesse esclarecimento.

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247