Para O Globo, polícia tem o direito de plantar provas contra Lula

Reportagem de O Globo reduz a suspeita de que a Polícia Federal plantou documentos na residência de Lula, durante operação de março de 2016, a um debate sobre a "autenticidade" dos papéis; leia reportagem do GGN

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva 20/07/2017 REUTERS/Paulo Whitaker
O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva 20/07/2017 REUTERS/Paulo Whitaker (Foto: Leonardo Attuch)

Por Patrícia Faermann, no GGN
 
Uma reportagem divulgada pelo jornal O Globo nesta quinta (15) virou mais um capítulo na saga de conflitos alimentados pela velha mídia em relação ao ex-presidente Lula. O jornal reduziu as suspeitas de que agentes da Lava Jato plantaram provas em um dos endereços do petista a uma discussão jurídica sobre a "autenticidade" desses documentos. 
 
A informação, que tem potencial para criar um escândalo e macular as instituições envolvidas na persecução penal de Lula, virou questão secundária. É como se o jornal dissesse que tudo bem plantar provas na casa de Lula. O importante é que o petista não tenha condições de provar que esses documentos são falsos.
 
Na publicação, O Globo diz que embora Lula tenha "insinuado" em seu último depoimento a Sergio Moro que a Polícia Federal pode ter plantado provas em sua casa, "a autenticidade dos papéis não foi questionada por sua defesa quando o material foi incluído no processo judicial há mais de um ano".
 
Leia a íntegra no GGN

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247