Parlamentarismo será proposto se PSDB ganhar em 2018, diz Aécio

Após reunião com Michel Temer, na tarde desta terça-feira (15), o senador Aécio Neves afirmou que o parlamentarismo será proposto caso um tucano seja eleito presidente em 2018; o senador mineiro também defendeu a cláusula de barreira, que limita o número de partidos com base no desempenho eleitoral e se declarou contra o chamado distritão

aecio neves
aecio neves (Foto: Charles Nisz)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Nesta terça-feira (15), o senador Aécio Neves (PSDB-MG) afirmou que o parlamentarismo será proposto caso o PSDB vença as eleições de 2018. O presidente licenciado do PSDB se reuniu na tarde de hoje com o presidente Michel Temer no Palácio do Planalto. Para Aécio, o parlamentarismo é uma "consequência natural", mas incapaz de solucionar uma crise. Assim, somente um presidente eleito poderia propor a mudança do sistema político do país, após a eleição de 2018. 

Aécio também defendeu a aprovação da cláusula de barreira - uma medida para limitar o número de legendas, de acordo com desempenho no pleito — e do fim das coligações partidárias para as eleições do ano que vem. Ele teme a adoção do distritão e caso o modelo distrital misto não seja garantido em 2022, ele prefere que o sistema de eleição na Câmara permaneça inalterado.

Sobre o financiamento das campanhas eleitorais, ele afirmou que ele poderia vir de parte do dinheiro economizado com o fim de programas partidários fora de anos de eleição, além de uma fatia de emendas parlamentares.

 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email