Em live, Bolsonaro ofende os desempregados: "patrão quando manda embora é porque a pessoa não está trabalhando"

"O patrão quando manda embora não é por maldade, é porque a pessoa não está trabalhando, está dando prejuízo, ou quer contratar alguém melhor", disse Bolsonaro em sua live semanal no Facebook, ao defender o corte de direitos trabalhistas para "facilitar a vida dos patrões para dar emprego"

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: Antonio Cruz - ABR)

247 - Em sua live nas redes sociais, Jair Bolsonaro defendeu o fim das normas regulamentadoras relativas à segurança no trabalho, alegando que é necessário "facilitar a vida dos patrões para dar emprego".

"O cara desce uma palmeira daquelas, de cem metros, pega um banheiro químico borbulhando de fezes, fecha a porta e tá (sic) oitenta graus. Vira um micro-ondas, e para fazer xixi. Tem cabimento isso? Tem cabimento multar por causa disso?", justificou Bolsonaro, citando multas a empresas que atuam no corte de folhas de carnaúba para produção de cera em Matopiba, na região Nordeste do país.

"Assim não dá para trabalhar no Brasil. Está desempregado um monte de cara (sic) que não vai mais cortar folha de carnaúba lá", destacou, defendendo a redução da multa a ser paga por empresas em demissões sem justa causa. "O patrão quando manda embora não é por maldade, é porque a pessoa não está trabalhando, está dando prejuízo, ou quer contratar alguém melhor. E tem gente reclamando. quem está reclamando: vá ser patrão. Nós tiramos 10% para tirar encargo", disse.

Ele disse que o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, vai se tornar "o exterminador de bancos" devido às vantagens em serviços como o cheque especial em relação à concorrência.

"O Pedro Guimarães, presidente da Caixa, está de parabéns, porque, se ele não tivesse essa iniciativa, a taxa continuaria em 13%, 14%", disse ele, se referindo a taxa do cheque especial que baixou de 13% para 8%.

"Vale abrir conta lá, pois ela está na frente dos outros bancos. A não ser que os bancos sigam o exemplo da Caixa. Caso contrário, o Pedro vai matar os outros bancos, o Pedro vai ser o exterminador de bancos, com esses números que ele está apresentando, para o cheque especial e outros itens, como o crédito imobiliário", disse.

A declaração acontece um dia depois da notícia de que governo Jair Bolsonaro estaria fechando a contratação do banco de investimento dos Estados Unidos Morgan Stanley para dar início ao processo de privatização da Caixa Econômica Federal (CEF) a partir de seu braço de seguros, a Caixa Seguridade.

Deboche contra senador

Bolsonaro resolveu debochar do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) ao comentar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o seguro DPVAT. 

“O Dias Toffoli deu uma liminar contra o DPVAT atendendo aquele senador, o fala fino, aquele senador que fala fino lá do Amapá. Nhé Nhé Nhé… Entrou contra o DPVAT… Obviamente, a liminar existe para isso. Mas os dados não estavam bem precisos nas mãos do Toffoli. O ministro André Mendonça entrou no circuito com sua equipe que estava de plantão e o Dias Toffoli reconheceu que poderia atender aquilo pleiteado pelo André Mendonça. Voltou a valor razoável, bem baixinho”, disse Bolsonaro imitando de forma pejorativa o senador Randolfe.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247