Pazuello admite ao STF que não tem seringas para vacinação

O Brasil não possui seringas suficientes para a vacinação inicial de Covid-19, ao contrário do que declarou Eduardo Pazuello na semana passada, admitiu o Ministério da Saúde nesta quarta-feira ao STF

www.brasil247.com - Eduardo Pazuello, ministro da Saúde
Eduardo Pazuello, ministro da Saúde (Foto: Reprodução)


247 - "Estima-se que há nos estados mais de 52 milhões de seringas e agulhas aptas para a realização da vacinação, enquanto a estratégia para os grupos listados estima quase 30 milhões de doses para o esquema vacinal completo de duas doses", disse o Ministério da Saúde, em documento assinado por Pazuello e enviado ao Supremo nesta quarta-feira (13). 

O ministério afirmou que os números foram contabilizados a partir de e-mails enviados aos estados em 27 de novembro, e que "apenas" oito estados não terão seringas o bastante, informa a coluna de Guilherme Amado na Época.

"Verifica-se apenas que os estados do Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina não teriam estoque suficiente para suprir essa demanda inicial, caso houvesse a disponibilidade imediata das 30 milhões de doses", afirmou o Ministério, em uma tentativa de minimizar que mais de um terço dos estados ficarão impedidos de imunizar sua população a contento em uma pandemia que já matou 205 mil brasileiros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Em outros momentos, o Ministro da Saúde tinha afirmado o oposto: "Senhoras e senhores, não existe falta de seringa", declarou Pazuello, durante um pronunciamento no Palácio do Planalto na semana passada, quando demonstrou irritação, atacou a imprensa e se recusou a responder perguntas dos repórteres.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ainda segundo o documento endossado pelo general Pazuello, a pasta tem a "expectativa" de adquirir 40 milhões de seringas até o fim de janeiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Esse documento foi enviado ao gabinete de Ricardo Lewandowski, relator de uma ação movida pela Rede Sustentabilidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email