Pazuello será investigado em diversas frentes pelo colapso do sistema de saúde no Amazonas

O ministro da Saúde será investigado pela falta de fornecimento de oxigênio, a promoção de medicamentos sem eficácia comprovada e a indisponibilidade de leitos de terapia intensiva

Pazuello e cilindros de oxigênio
Pazuello e cilindros de oxigênio (Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A investigação que apura a responsabilidade do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre a crise sanitária no Amazonas abriu novas frentes, relacionadas ao fornecimento de oxigênio e medicamentos sem eficácia comprovada, além da indisponibilidade de leitos de terapia intensiva. 

O inquérito contra o ministro foi instaurado no último dia 29 pela Polícia Federal (PF), por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski. 

É investigada a omissão de Pazuello, que, alega-se, sabia do cenário crítico sobre o sistema de saúde em Manaus oito meses antes de ser constatada a falta de oxigênio em hospitais da capital.

Em seu depoimento, realizado no último dia 4, o ministro buscou culpar autoridades locais pela crise.

Em outro depoimento no Senado, o general chegou a culpar os próprios hospitais pela crise no fornecimento de oxigênio para pacientes com a Covid-19, alegando que isso não cabe à sua pasta.

As informações são da coluna de Bela Megale, no Globo.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email