Petrobras quer que Lula devolva dinheiro de triplex que não é dele

Embora não existam provas de que o triplex no Guarujá tenha pertencido ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a Petrobras pediu ao juiz federal Sergio Moro o ressarcimento dos valores pelos crimes atribuídos ao processo do apartamento; em documento protocolado na Justiça Federal de Curitiba, a Petrobras se manifestou em relação às alegações finais do Ministério Público Federal (MPF) no processo e ainda disse ter acatado “parcialmente” as alegações finais; Moro está julgando o caso em primeira instância, após as alegações finais da defesa de Lula e do MPF

Lula depõe
Lula depõe (Foto: Giuliana Miranda)

247 - A Petrobras pediu ao juiz Sergio Moro ressarcimento dos valores pelos crimes atribuídos ao processo do apartamento tríplex que, segundo a Lava-Jato, pertenceria ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Diversas testemunhas já negaram a tese de que Lula seria o proprietário do imóvel e a acusação não conseguiu apresentar provas formais.

Em documento protocolado na Justiça Federal de Curitiba nesta terça-feira (6), a Petrobras se manifestou em relação às alegações finais do Ministério Público Federal (MPF) no processo e ainda disse ter acatado “parcialmente” as alegações finais. Moro está julgando o caso em primeira instância, após as alegações finais da defesa de Lula e do MPF.

As informações são de reportagem da Agência O Globo

Na petição, a Petrobras pede ainda que seja “fixado um valor mínimo de reparação de danos em favor da empresa”, com a necessária correção monetária e incidência de juros. A empresa não fala em valores.

A Lava-Jato estima que o esquema de corrupção atribuído ao caso provocou prejuízos de até R$ 87 milhões à estatal, que seria "correspondente ao valor total da porcentagem da propina paga pela OAS”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247