Petrobras rompe contrato com consórcio de empresa denunciada

Estatal rescindiu o contrato com o consórcio UFN3 para a construção e montagem de uma unidade produtora de fertilizantes em Três Lagoas (MS); de acordo com a Petrobras, o consórcio formado pelas empresas Sinopec e Galvão Engenharia, citada na Lava Jato, não está pagando fornecedores e trabalhadores; projeto está com 82% das obras concluídas

Estatal rescindiu o contrato com o consórcio UFN3 para a construção e montagem de uma unidade produtora de fertilizantes em Três Lagoas (MS); de acordo com a Petrobras, o consórcio formado pelas empresas Sinopec e Galvão Engenharia, citada na Lava Jato, não está pagando fornecedores e trabalhadores; projeto está com 82% das obras concluídas
Estatal rescindiu o contrato com o consórcio UFN3 para a construção e montagem de uma unidade produtora de fertilizantes em Três Lagoas (MS); de acordo com a Petrobras, o consórcio formado pelas empresas Sinopec e Galvão Engenharia, citada na Lava Jato, não está pagando fornecedores e trabalhadores; projeto está com 82% das obras concluídas (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

A Petrobras informou nesta sexta-feira 19, em nota, que rescindiu o contrato com o consórcio UFN3 para a construção e montagem da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados 3 (UFN 3), em Três Lagoas (MS). Segundo a estatal, o consórcio formado pelas empresas Sinopec e Galvão Engenharia não está pagando fornecedores e trabalhadores.

Na nota, a estatal acrescentou que está cumprindo todos os pagamentos previstos no contrato e que está tomando "todas as medidas ao seu alcance" para que o consórcio honre as obrigações legais.

De acordo com a Petrobras, a unidade, que produzirá anualmente 1,2 milhão de toneladas de ureia e 70 mil toneladas de amônia para atender aos mercados do Centro-Oeste, de São Paulo e do Paraná, está com 82% das obras concluídas.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247