PF abre inquérito contra propinoduto tucano

Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, confirmou investigação sobre as propinas pagas nas obras do metrô de São Paulo, durante os governos dos tucanos Mario Covas, José Serra e Geraldo Alckmin; ele também negou a acusação de comandar uma polícia política; "é chegada a hora de os agentes públicos perceberem que é descabido aplaudirem uma investigação quando os investigados são seus adversários e acusarem o Cade de perseguição política quando eles são seus parceiros", disse ele

PF abre inquérito contra propinoduto tucano
PF abre inquérito contra propinoduto tucano (Foto: JOEDSON ALVES)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 -  A guerra PT-PSDB ganhará nova intensidade nos próximos dias. Isso porque o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, confirmou que a Polícia Federal, subordinada a ele, abriu dois inquéritos para investigar o chamado "propinoduto tucano", relacionado aos desvios de verbas nas obras do metrô de São Paulo. Documentos revelados neste sábado também apontaram que os desvios podem chegar a R$ 577 milhões (leia mais aqui).

"Foram abertos inquéritos, a partir desses fatos, para apurar a ocorrência de eventuais crimes", disse Cardozo. "A Polícia Federal acompanhou a busca e apreensão."

O ministro também reagiu à acusação do secretário da Casa Civil do governo de São Paulo, Edson Aparecido, que acusou a PF de agir como "polícia política"do PT. "É chegada a hora de os agentes públicos perceberem que é descabido aplaudirem uma investigação quando os investigados são seus adversários e acusarem o Cade de perseguição política quando quem eles são seus parceiros", reagiu Cardozo. "É lamentável que se tente politizar uma investigação séria, feita por um órgão isento, reconhecido internacionalmente por sua qualidade técnica."

Cardozo lembrou ainda que não foi a Polícia Federal quem inventou a caso, mas a própria multinacional alemã Siemens que denunciou o pagamento de propinas nas obras do metrô durante as administrações de Mario Covas, José Serra e Geraldo Alckmin.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247