PF apreende HD com grampos que Moro fez de advogados de Lula

Única cópia que os advogados do ex-presidente Lula tinham das ligações telefônicas gravadas pelo então juiz da Lava Jato foi levada nesta quarta-feira (9) pela Polícia Federal, no âmbito das buscas da operação E$quema S

Defesa de Lula, Cristiano Zanin e Valeska Martins
Defesa de Lula, Cristiano Zanin e Valeska Martins (Foto: Ricardo Stuckert)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal apreendeu nesta quarta-feira (9), durante buscas no âmbito da Operação E$squema S, que atingiu o escritório que cuida dos processos do ex-presidente Lula, de Roberto Teixeira e Cristiano Zanin Martins, os grampos com integrantes da equipe a mando do então juiz da Lava Jato, Sergio Moro.

Segundo reportagem do jornal O Globo, os arquivos estavam salvos em um HD externo, que continha 23 dias de interceptações telefônicas do principal ramal do escritório, feitas em 2016. 

Nos áudios, há conversas de 25 advogados do ex-presidente, feitas entre eles, e também um diálogo de Zanin Martins com o próprio Lula. O grampo já havia sido denunciado na Justiça pela equipe de defesa do ex-presidente. Os advogados já foram ao STF sobre o caso.

A interceptação do número foi conseguida com uma dissimulação do Ministério Público Federal. No pedido de quebra de sigilo de telefones ligados a Lula, os procuradores da Lava Jato incluíram o número do Teixeira, Martins e Advogados como se fosse da Lils Palestras, Eventos e Publicações, empresa de palestras do ex-presidente.

Em 2018, o Tribunal Regional Federal da 4a Região (TRF-4) atendeu a um pedido dos advogados de Lula e determinou a destruição das gravações, além da exclusão do material do processo. A defesa fez uma cópia do conteúdo.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247