PF investiga vendetta de preso na Porto Seguro

Paulo Vieira, preso em 2012 pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro, acusa o secretário-executivo do ministério da Previdência, Carlos Gabas, de enriquecimento ilícito por meio de carta anônima distribuída para ministérios e imprensa; motivo para a denúncia pode ser explicado pela próxima relação que Vieira tinha com o presidente do INSS, Mauro Hauschild, demitido por Gabas dois meses antes da operação; difamação será agora investigada pela PF

Paulo Vieira, preso em 2012 pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro, acusa o secretário-executivo do ministério da Previdência, Carlos Gabas, de enriquecimento ilícito por meio de carta anônima distribuída para ministérios e imprensa; motivo para a denúncia pode ser explicado pela próxima relação que Vieira tinha com o presidente do INSS, Mauro Hauschild, demitido por Gabas dois meses antes da operação; difamação será agora investigada pela PF
Paulo Vieira, preso em 2012 pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro, acusa o secretário-executivo do ministério da Previdência, Carlos Gabas, de enriquecimento ilícito por meio de carta anônima distribuída para ministérios e imprensa; motivo para a denúncia pode ser explicado pela próxima relação que Vieira tinha com o presidente do INSS, Mauro Hauschild, demitido por Gabas dois meses antes da operação; difamação será agora investigada pela PF (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) Paulo Vieira, preso em 2012 pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro, vem acusando o secretário-executivo do ministério da Previdência, Carlos Gabas, de enriquecimento ilícito. A acusação tem sido feita por meio de carta anônima distribuída para ministérios e redações de jornais e revistas. A operação de difamação será agora investigada pela PF.

A carta pode ser identificada como de Paulo Vieira porque ele teve seu computador apreendido pela PF quando foi preso. Através da máquina, a polícia descobriu que Vieira havia criado um e-mail falso com dezenas de disparos de cartas – o mesmo que agora chega às redações e aos ministérios. O ex-diretor da ANA tinha inclusive cópia da declaração de imposto de renda de Gabas.

A razão para a vingança pode ser explicada pela próxima relação de Vieira com o presidente do INSS, Mauro Hauschild, demitido por Gabas dois meses antes da deflagração da Operação Porto Seguro.

O inquérito da PF detalha como os dois eram próximos: como diretor da ANA, Paulo Vieira ordenou a um auxiliar, em novembro de 2011, o pagamento de despesas de Hauschild, no valor de R$ 5.800, junto a uma incorporadora de imóveis. Meses antes, já havia prestado outro favor ao amigo, ao levar para sua diretoria na ANA a mulher de Hauschild.

Confira parte dos documentos apreendidos no computador de Paulo Vieira:



























O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email