PF investiga vendetta de preso na Porto Seguro

Paulo Vieira, preso em 2012 pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro, acusa o secretário-executivo do ministério da Previdência, Carlos Gabas, de enriquecimento ilícito por meio de carta anônima distribuída para ministérios e imprensa; motivo para a denúncia pode ser explicado pela próxima relação que Vieira tinha com o presidente do INSS, Mauro Hauschild, demitido por Gabas dois meses antes da operação; difamação será agora investigada pela PF

www.brasil247.com - Paulo Vieira, preso em 2012 pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro, acusa o secretário-executivo do ministério da Previdência, Carlos Gabas, de enriquecimento ilícito por meio de carta anônima distribuída para ministérios e imprensa; motivo para a denúncia pode ser explicado pela próxima relação que Vieira tinha com o presidente do INSS, Mauro Hauschild, demitido por Gabas dois meses antes da operação; difamação será agora investigada pela PF
Paulo Vieira, preso em 2012 pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro, acusa o secretário-executivo do ministério da Previdência, Carlos Gabas, de enriquecimento ilícito por meio de carta anônima distribuída para ministérios e imprensa; motivo para a denúncia pode ser explicado pela próxima relação que Vieira tinha com o presidente do INSS, Mauro Hauschild, demitido por Gabas dois meses antes da operação; difamação será agora investigada pela PF (Foto: Gisele Federicce)


247 – O ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA) Paulo Vieira, preso em 2012 pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro, vem acusando o secretário-executivo do ministério da Previdência, Carlos Gabas, de enriquecimento ilícito. A acusação tem sido feita por meio de carta anônima distribuída para ministérios e redações de jornais e revistas. A operação de difamação será agora investigada pela PF.

A carta pode ser identificada como de Paulo Vieira porque ele teve seu computador apreendido pela PF quando foi preso. Através da máquina, a polícia descobriu que Vieira havia criado um e-mail falso com dezenas de disparos de cartas – o mesmo que agora chega às redações e aos ministérios. O ex-diretor da ANA tinha inclusive cópia da declaração de imposto de renda de Gabas.

A razão para a vingança pode ser explicada pela próxima relação de Vieira com o presidente do INSS, Mauro Hauschild, demitido por Gabas dois meses antes da deflagração da Operação Porto Seguro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O inquérito da PF detalha como os dois eram próximos: como diretor da ANA, Paulo Vieira ordenou a um auxiliar, em novembro de 2011, o pagamento de despesas de Hauschild, no valor de R$ 5.800, junto a uma incorporadora de imóveis. Meses antes, já havia prestado outro favor ao amigo, ao levar para sua diretoria na ANA a mulher de Hauschild.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Confira parte dos documentos apreendidos no computador de Paulo Vieira:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE





CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






















CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email