CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasil

PF pede ao STF para prorrogar investigações da Lava Jato

Polícia Federal pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prorrogação, por mais 60 dias, do principal inquérito que investiga a participação de parlamentares na Operação Lava Jato, que apura desvios de recursos na Petrobras; delegados da PF informaram que 28 dos 39 parlamentares que prestaram depoimento negaram participação no esquema de corrupção; decisão será do ministro Teori Zavascki, relator dos todos os processos relativos à operação no Supremo

Imagem Thumbnail
Polícia Federal pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prorrogação, por mais 60 dias, do principal inquérito que investiga a participação de parlamentares na Operação Lava Jato, que apura desvios de recursos na Petrobras; delegados da PF informaram que 28 dos 39 parlamentares que prestaram depoimento negaram participação no esquema de corrupção; decisão será do ministro Teori Zavascki, relator dos todos os processos relativos à operação no Supremo (Foto: Aquiles Lins)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

André Richter, da Agência Brasil - A Polícia Federal (PF) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a prorrogação, por mais 60 dias, do principal inquérito que investiga a participação de parlamentares na Operação Lava Jato, que apura desvios de recursos na Petrobras.

Para justificar a prorrogação, os delegados informaram que 28 dos 39 parlamentares que prestaram depoimento negaram participação no esquema de corrupção. A decisão será do ministro Teori Zavascki, relator dos todos os processos relativos à operação no Supremo.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Segundo a PF, além de negar envolvimento com os fatos investigados, os 28 parlamentares alegaram que nunca tiveram contato com os dois principais delatores da Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e o doleiro Alberto Youssef. Diante dos fatos, os investigadores pretendem tomar novos depoimentos dos delatores, de modo que eles detalhem a participação dos acusados.

"Busca-se comparar as versões apresentadas, para enfatizar aspectos importantes acerca dos fatos imputados e, se for o caso, acarear-se os investigados com os delatores acerca dos argumentos divergentes apresentados", justifica a Polícia Federal.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

A PF informou também que pretende ouvir 11 investigados que ainda não prestaram depoimento, entre eles o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, cujas oitivas foram marcadas para as duas próximas semanas.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

Cortes 247

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO