PF prende foragido da Operação Custo Brasil

Polícia Federal prendeu o advogado Guilherme Gonçalves, que era considerado foragido da Justiça no âmbito da Operação Custo Brasil, deflagrada na última quinta-feira (23); ele foi preso no aeroporto internacional de Cumbica (SP), quando desembarcava de um voo originário de Portugal; Operação Custo Brasil prendeu 10 pessoas por envolvimento no esquema, dentre elas o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo; esquema investigado aponta desvios de até R$ 100 milhões do crédito consignado do funcionalismo público federal

Polícia Federal prendeu o advogado Guilherme Gonçalves, que era considerado foragido da Justiça no âmbito da Operação Custo Brasil, deflagrada na última quinta-feira (23); ele foi preso no aeroporto internacional de Cumbica (SP), quando desembarcava de um voo originário de Portugal; Operação Custo Brasil prendeu 10 pessoas por envolvimento no esquema, dentre elas o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo; esquema investigado aponta desvios de até R$ 100 milhões do crédito consignado do funcionalismo público federal
Polícia Federal prendeu o advogado Guilherme Gonçalves, que era considerado foragido da Justiça no âmbito da Operação Custo Brasil, deflagrada na última quinta-feira (23); ele foi preso no aeroporto internacional de Cumbica (SP), quando desembarcava de um voo originário de Portugal; Operação Custo Brasil prendeu 10 pessoas por envolvimento no esquema, dentre elas o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo; esquema investigado aponta desvios de até R$ 100 milhões do crédito consignado do funcionalismo público federal (Foto: Paulo Emílio)

247 - A Polícia Federal prendeu o advogado Guilherme Gonçalves, que era considerado foragido da Justiça no âmbito da Operação Custo Brasil, deflagrada na última quinta-feira (23). Ele foi preso no aeroporto internacional de Cumbica (SP), quando desembarcava de um voo originário de Portugal.

Gonçalves teve a sua prisão preventiva decretada pelo juiz da 6ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo, Paulo Bueno de Azevedo, por suspeitas de participação em um esquema de corrupção no Ministério do Planejamento. Operação Custo Brasil prendeu 10 pessoas por envolvimento no esquema, dentre elas o ex-ministro do Planejamento Paulo Bernardo.

Operação apura desvios de mais de R$ 100 milhões, que teriam acontecido entre 2010 e 2015, do crédito consignado de funcionários públicos federais. O ex-ministro é suspeito de ter recebido R$ 7 milhões do esquema.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247