PF vai apurar vazamento de dados de Lula à Veja

Polícia Federal vai abrir um inquérito para investigar o vazamento de dados bancários do ex-presidente, obtidos de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), publicado em reportagem da Veja desta semana; de acordo com o relatório, a LILS, empresa de palestras de Lula, faturou R$ 27 milhões desde que ele deixou a presidência da República; destes, cerca de R$ 10 milhões teriam vindo de empresas investigadas na Lava Jato; em reunião com Lula no último sábado, Dilma considerou grave o vazamento de um relatório do Coaf, órgão do Ministério da Fazenda; segundo o colunista Kennedy Alencar, a PF deverá apurar qual investigação pediu tais dados, a fim de esclarecer se houve justificativa para a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente

Polícia Federal vai abrir um inquérito para investigar o vazamento de dados bancários do ex-presidente, obtidos de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), publicado em reportagem da Veja desta semana; de acordo com o relatório, a LILS, empresa de palestras de Lula, faturou R$ 27 milhões desde que ele deixou a presidência da República; destes, cerca de R$ 10 milhões teriam vindo de empresas investigadas na Lava Jato; em reunião com Lula no último sábado, Dilma considerou grave o vazamento de um relatório do Coaf, órgão do Ministério da Fazenda; segundo o colunista Kennedy Alencar, a PF deverá apurar qual investigação pediu tais dados, a fim de esclarecer se houve justificativa para a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente
Polícia Federal vai abrir um inquérito para investigar o vazamento de dados bancários do ex-presidente, obtidos de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), publicado em reportagem da Veja desta semana; de acordo com o relatório, a LILS, empresa de palestras de Lula, faturou R$ 27 milhões desde que ele deixou a presidência da República; destes, cerca de R$ 10 milhões teriam vindo de empresas investigadas na Lava Jato; em reunião com Lula no último sábado, Dilma considerou grave o vazamento de um relatório do Coaf, órgão do Ministério da Fazenda; segundo o colunista Kennedy Alencar, a PF deverá apurar qual investigação pediu tais dados, a fim de esclarecer se houve justificativa para a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Polícia Federal vai abrir um inquérito para investigar o vazamento de dados bancários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que foram publicados em reportagem da Veja desta semana. 

Segundo a publicação da família Civita, os dados foram obtidos a partir de um relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras enviado à Polícia Federal e aos integrantes da força-tarefa paranaense da operação Lava Jato.

De acordo com o relatório, a LILS, empresa de palestras do ex-presidente Lula, faturou R$ 27 milhões, desde que ele deixou a presidência da República. Destes, cerca de R$ 10 milhões teriam vindo de empresas investigadas na Lava Jato, como Odebrecht (R$ 2,8 milhões), Andrade Gutierrez (R$ 1,5 milhão) e OAS (R$ 1,4 milhão). Leia aqui reportagem do 247 sobre o assunto. 

Segundo o colunista Kennedy Alencar, o assunto foi discutido pela presidente Dilma Rousseff e Lula em reunião no sábado, 15, em Brasília. Presidente considerou grave o vazamento de um relatório do Coaf, órgão do Ministério da Fazenda.

"Pelo que o governo apurou, o levantamento do Coaf não foi feito a pedido dos investigadores da Lava Jato. Teria partido do Ministério Público Federal, mas de uma investigação diferente. É importante identificar que investigação pediu tais dados a fim de esclarecer se houve justificativa para a quebra do sigilo bancário e fiscal do ex-presidente", diz o colunista (leia aqui).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email