PGR contraria Temer e pede continuidade de inquérito dos Portos

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, negou pedido da defesa de Michel Temer e defendeu a continuidade das investigações no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre sua relação à edição de um decreto que trata do setor portuário; na manifestação encaminhada nesta quinta-feira (26) ao relator do inquérito, ministro Luís Roberto Barroso, Dodge disse que há diligências (atividades da investigação) a cumprir

Presidente Michel Temer e nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge 18/09/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino
Presidente Michel Temer e nova procuradora-geral da República, Raquel Dodge 18/09/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino (Foto: Romulo Faro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, negou pedido da defesa de Michel Temer e defendeu a continuidade das investigações no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre sua relação à edição de um decreto que trata do setor portuário.

Na manifestação encaminhada nesta quinta-feira (26) ao relator do inquérito, ministro Luís Roberto Barroso, Dodge disse que há diligências (atividades da investigação) a cumprir.

A defesa de Temer havia informado ao STF que contratos da Rodrimar foram analisados pela Secretaria Nacional dos Portos e houve uma recomendação em parecer para que nem todos os contratos fossem renovados. Os advogados pediam que Barroso reconsiderasse a decisão - que autorizou a instauração do inquérito contra o peemedebista.

"A fase inquisitorial tem como objetivo a completa elucidação dos fatos. Seu resultado será a base da formação do juízo de convencimento do MPF, resultando, ao final, em denúncia ou arquivamento", disse Dodge.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247