PGR não sabia que André do Rap era chefe do PCC e atrasou pedido de prisão

A Procuradoria Geral da República só tomou conhecimento de que André do Rap era um dos chefes do PCC pela imprensa e não se manifestou sobre o caso em tempo hábil

Traficante André do Rap, um dos chefes do PCC, é solto por ordem do STF
Traficante André do Rap, um dos chefes do PCC, é solto por ordem do STF
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Procuradoria Geral da República só tomou conhecimento de que André do Rap era membro do comando do PCC pela imprensa.
O caso chegou à PGR na terça (6), mas o órgão se manifestou apenas no sábado (10), quando Augusto Aras viajava, informa o Painel da Folha de S.Paulo.

A desinformação da PGR fez com que a instituição só se pronunciasse um dia depois da ordem de soltura. Para complicar ainda mais, o procurador-geral, Augusto Aras, estava em viagem particular e uma pane eletrônica fez o pedido de reconsideração da prisão demorar ainda mais para chegar ao ministro Luiz Fux.

Na manhã de sábado, Humberto Jacques, vice-procurador, responsável pelo plantão da PGR, avisou o presidente do Supremo que entraria o quanto antes com a medida. Aras ligou a Jacques para pedir urgência.

A PGR não foi ouvida antes da decisão de Marco Aurélio. O ministro justifica dizendo que esperar um posicionamento do órgão tiraria o caráter de urgência que tinha o pedido da defesa.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email